Resenha: Jogos Vorazes, o livro

Oii gente!

Faz mó tempão que não posto, né? Bom… o que posso dizer: Tenho focado mais nos textos, mas voltei pra vocês! É muito difícil ter que juntar as horas dos dias, com tanta coisa acontecendo – envolve doença, não me culpem – Mas vamos lá…

O post de hoje é sobre um livro maravilhoso ~~Tcharan~~ Jogos Vorazes! Livros são a melhor coisa pra se fazer quando o calor envolve o seu ser e a preguiça de enfrentar o sol acaba ganhando!

Com todo esse amor pela trilogia que chegou aos cinemas todo mundo quer um pouquinho dos famosos jogos e da corajosa Katniss Everdeen…

Jogos vorazes é um torneio organizado pela capital, onde dois tributos (pessoas até 18 anos/ um homem e uma mulher) são sorteados por distrito como uma “oferenda” da capital para relembrá-los de como ela foi gentil em deixá-los viver. Esses 24 tributos são jogados em um campo onde só um sobrevive.
Katniss é uma garota do distrito 12 que vive com sua mãe e sua irmã mais nova, Prim. Perdeu seu pai nas minas, portanto ela que leva comida para casa todos os dias. Para isso, ela caça na floresta proibida com Gale, seu melhor amigo desde a morte de seu pai.
Prim acaba sendo sorteada para os Jogos Vorazes, mas Katniss toma seu lugar, tendo então, como segundo tributo do distrito 12, Peeta. Peeta salvou sua vida no passado, uma coisa que a faz ter muito remorso em ter que matá-lo, mas é viver ou morrer.
Os Jogos começam e os patrocinadores estão a procura de um favorito. Kat e Peeta arrumam um jeito de ganhar patrocinadores: firmando um romance. O tordo, pássaro que está na capa do livro, é um broche que Katniss ganhou de uma  amiga de infância sua (diferente do filme), e que acaba tendo outro significado pela trilogia.
Mas como você provavelmente já sabe de tudo isso,
O que eu achei é que os detalhes mudam tudo, o livro e o filme são realmente parecidos, mais do que qualquer adaptação pra filme que eu já tenha visto, as mudanças são realmente pequenas.
Outra coisa que eu realmente gostei, foi a forma com que descrevem a Katniss no livro – claro que o livro é sempre mais perfeito – ela é forte mas está realmente abalada com a situação, no que o filme retrata com frieza, mas mesmo assim… Amo ambos!
Espero que tenham gostado, digam-me o que querem aqui no blog, e pretendo voltar de vez! Bisous…
PS: Meus novos textos ficam no Borboleta Interior!

Esmaltes: Bgirl

Além do tom ser beem pastel, achei bem fácil de passar, a cor pegou bem rápido e achei o resultado bom, tem várias corezinhas e não tem que ficar caçando as cores! O que é bom! Eu finalizei com um pouco de camada com brilho mas só precisou de duas mãos, os dois! Gostei bastante do resultado! A marca entregou no Brasil com três semanas e meia. Admito que comprei depois que vi uma manicure passando! hihihi Maaaaaaas, espero que tenham gostado da dica! Bisous…

Resenha: Primer Colorido, Quem Disse Berenice?

Sobre o assunto primer, nunca tinha usado nenhum com cor diferente assim e estava até com medinho de ficar meio ET. Este tom de verde serve para, teoricamente, disfarçar o avermelhado da pele. Mas depois que usei fiquei mais tranquila, o negócio todo é bem sutil. Ficou bem já que minha pele é morena, deu uma leve desfaçada nas olheiras e no maxilar, já que tinha que passar corretivo colorido no maxilar e esfumar um corretivo liquido e depois pó.

Um pouquinho já da pro rosto todo, se não fica aquela coisa verde farelenta!

O resultado na pele é que ele deixa ela mais lisinha, mas não consegui notar grande diferença no brilho do rosto ou no disfarce dos poros. Já sobre a cor, ele neutralizou um pouco os vermelhinhos, mas é uma coisa quase imperceptível.

Aplico com o pincel pra pó da Contém 1g:

O resultado ficou bom e a minha maquiagem gruda bem, prefiro os de pó já que os de primer não me agradam muito! Esse pincel combina mais com os produtos que não são finais já que acumula bem o produto! O pincel sai uns 40 reais.

 O primer sai a uns 47 reais

Espero que tenham gostado do post! Comentem fias! Bisous